Malha Fina nas escolas: um semestre em retrospectiva

por: Chayenne Mubarack e Larissa Pavoni Rodrigues.

Neste segundo semestre, a Malha Fina realizou três importantes oficinas em escolas públicas. Já em clima de retrospectiva, esse post será um relato dessas experiências tão enriquecedoras para a equipe de trabalho, professoras, alunas e alunos.

A primeira oficina aconteceu no dia 7 de outubro, na Escola Municipal General Euclydes de Oliveira Figueiredo, onde demonstramos o fazer cartonero para cinco turmas de crianças e jovens entre 11 a 15 anos, do 5º ao 9º ano. Os livros confeccionados foram escritos pelos próprios alunos, trabalhados em conjunto com a professora de artes Silvia Martins, e as professoras de português. Entre eles, a coletânea Contos de Terror e uma de poesia; além do livro Simão está dormindo, do escritor Paulo Nunes. A monitora Mariana Costa Mendes diagramou o miolo dos livros.

 Após nossa visita, recebemos com alegria a notícia de que o projeto cartonero continuou a todo vapor na escola. Os alunos adaptaram materiais geralmente usados no dia-a-dia e seguiram produzindo seus livros, de maneira muito criativa e artística. Esperamos continuar recebendo notícias inspiradoras da Escola Euclydes Figueiredo e desejamos sucesso aos mais jovens alunos cartoneros!

5

Foto: Silvia Martins.

A segunda oficina ocorreu no dia 9 de novembro na EMEF Maria Alice B. Ghion, em meio à IV Jornada Pedagógica da Diretoria Regional de Educação do Butantã. Com o tema “Currículo Emancipatório em Movimento: Reencantamento do Mundo e da Educação”, foi um dia em que educadoras e educadores atuantes em escolas públicas municipais da região do Butantã se encontraram em diversas escolas para participar de debates, palestras, vivências e relatos de práticas sobre diversos temas relacionados à educação.

61

A Malha Fina coordenou duas oficinas, de manhã e à tarde, para cerca de 40 educadoras e educadores de diferentes escolas que se mostraram muito animados e dispostos a aprender as etapas de produção do livro. Cada um deles cortou, costurou, pintou e levou consigo seu próprio exemplar de livro cartonero.

78

Participar da Jornada Pedagógica foi importante tanto para nós quanto para esses educadores, pois além de entrarem em contato com o selo editorial Malha Fina Cartonera, um projeto universitário que visa a difusão da literatura e formação acadêmica e profissional dos alunos, puderam trocar experiências e práticas que poderão contribuir para disseminar o projeto cartonero em suas escolas, enriquecendo a produção literária e artística dos alunos da rede pública.

A terceira oficina do semestre aconteceu no dia 21 de novembro, na Escola Municipal Joycimara de Falchi Jorge, na Vila Carmela, Guarulhos, desta vez com os alunos do 3º ano do Ensino Fundamental I.

Antes da chegada da Malha Fina, os alunos produziram, sob a orientação das professoras Cícera e Sueli, o caderno Poesia na Escola, tendo a infância como tema central. A monitora Cristiane Gomes diagramou o miolo do livro com os poemas dos alunos.

9

Parte do livro “Poesia na Escola”, com poesias escritas pelos alunos dos 3º anos A e B do Ensino Fundamental I da Escola Municipal Joycimara de Falchi Jorge.

Chegando à escola, os monitores foram recebidos com um entusiasmo cativante das crianças, que nos abordavam ainda na entrada perguntando se éramos nós quem iríamos ensiná-los a fazerem livros. Realizamos duas oficinas, uma com o 3º ano A e outra com o B. Em ambas, os alunos foram divididas em dois grupos. Com as explicações e auxílios dos monitores, e sob a atenta supervisão deles, os alunos aprenderam um pouco mais sobre o livro em si, a parte material dele, enquanto desmistificaram a áurea inacessível que permeia este objeto.

Iniciamos o encontro mostrando-lhes nossa matéria prima: a caixa de papelão. Para os alunos parecia inacreditável que aquelas caixas virariam livros. Então, distribuímos papelões cortados previamente e realizamos as demais etapas com cada um: os furos, a costura do miolo, a dobra, o vinco, e a finalização. Também começamos um bate-papo sobre ideias de capas, quais temas ou ilustrações seriam interessantes para que conteúdo e visual estabelecessem um diálogo.

Depois da visita da Malha Fina, as duas professoras prosseguiram as atividades e pintaram as capas com os alunos. Os resultados podem ser conferidos abaixo. Nós, da Malha Fina Cartonera, agradecemos a acolhida amistosa da escola e esperamos poder repetir este momento construtivo mais vezes! Agradecemos também às professoras pelas fotografias.

12

A experiência de realizar oficinas em escolas públicas abriu um novo campo de atuação para a Malha Fina. Dentro da nossa proposta de propagar a literatura em espaços onde ela circula de maneira reduzida, este foi um grande passo! Nos sentimos imensamente felizes por termos contribuído na formação destes estudantes e professores. Que este seja apenas o primeiro passo na construção de uma educação que pense o próprio livro, instigando cada vez mais os alunos a entrarem no mundo editorial. Estamos felizes por fazer parte desta história dando nossa contribuição!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s